Movimento reconhecido por Roma…

Version imprimable PDF version Partager sur Twitter Partager sur Facebook

→ Boletin Número 37 do Pontificio Conselho para la Familia - Setembro 2016


 

As Equipes de Nossa Senhora (abreviando, ENS) são regidas por estatutos canônicos que foram aprovados a 16 de Julho de 2002, após uma fase ad experimentum de dez anos, pelo Conselho Pontifício para os Leigos junto da Santa Sé, no Vaticano.

Estes estatutos regulam o conjunto dos objetivos e do funcionamento das ENS em todo o mundo.

No seu preâmbulo, recorda-se o historial da sua criação, do papel do Pe. Henri Caffarel e dos quatro casais que estão na origem dos primeiros fundamentos da intuição fundadora.  Menciona-se ainda a adoção da carta, que data de 8 de Dezembro de 1947.

A noção de «espiritualidade conjugal» é recordada como elemento essencial do carisma das ENS.

Assim, os Estatutos têm como objetivo:

  • «Garantir a coerência do Movimento e o seu crescimento na continuidade e na fidelidade às intuições originais, permitindo os ajustes necessários…»
  • «Assegurar o enraizamento da intuição original do Movimento na Igreja…»
  • «Servir de referência para os seus membros e de garantia para as autoridades eclesiásticas…»
  • «Definir a expressão institucional da ligação das ENS à Santa Sé».

Estes estatutos sofreram algumas alterações de pormenor, permitindo-lhes adaptar-se a situações novas.  A última data de 19 de Março de 2014.  Compõem-se de dez artigos que explicitam algumas noções, das quais salientamos:
 A designação oficial é «Équipes Notre-Dame», abreviada como END.Esta denominação é válida para todos os países, sem prejuízo da eventual utilização de traduções oficiais na língua do país onde se encontram implantadas (com o acordo da ERI – Equipe Responsável Internacional).  A sua sede social está fixada em França, 49 rue de la Glacière – 75013 Paris.
 As ENS têm como objetivo viver todas as dimensões do sacramento do Matrimônio mantendo-se fiéis aos ensinamentos da Igreja.

Os membros são casais cristãos unidos pelo sacramento do Matrimônio que aderem aos objetivos e aos métodos definidos na última edição da Carta (Maio de 1972).
Qualquer membro pode retirar-se em qualquer altura.
Cada equipe é constituída por 5 a 7 casais e um padre conselheiro espiritual.  O tempo forte da vida de equipe é a reunião mensal, que inclui uma refeição simples, um tempo de oração, um pôr em comum das preocupações de cada um, uma discussão sobre o tema de reflexão, bem como uma partilha dos pontos concretos de esforço.
 São definidas diversas instâncias de responsabilidade e de animação:casais ligação, de setor, de região, de província, de super-região, da Equipe Responsável Internacional.  Todas as responsabilidades e todos os serviços são desempenhados de forma voluntária e com duração limitada, de 3 a 6 anos, consoante o escalão.
 Os padres conselheiros espirituais dão às equipes a insubstituível graça do seu sacerdócio; não assumem qualquer responsabilidade de governo, razão pela qual são chamados «conselheiros espirituais».
A administração do Movimento e dos seus bens poderá ser assegurada por associações civis nacionais ou regionais, que gozem da personalidade jurídica própria do país onde está implantado.  Estas associações prestarão contas aos responsáveis do Movimento pela gestão administrativa e financeira do Movimento local.
   
 A última versão (não oficial) integral dos estatutos está disponível no seguinte link: Estatutos