Acolhidos por Francisco

Version imprimable PDF version Partager sur Twitter Partager sur Facebook

Após 24 horas de viagem, desde a saída de nossa casa finalmente chegamos a Roma. Cansados, mas ansiosos pela expectativa deste grande acontecimento em nossas vidas.
No dia seguinte, domingo, 05 de outubro, fomos à missa na Catedral de São Pedro. Uma missa especial, pois o próprio Papa Francisco a presidiria.
Ao chegarmos à Basilica fomos conduzidos a uma área pré-determinada para todos os auditores, próxima ao altar. Então, uma surpresa: a Hermelinda foi separada do grupo pois fora selecionada para ler uma das Orações dos Fiéis, representando a língua portuguesa. Quanta honra! O Evangelho do dia (Mt 21, 33-43) se referia à vinha e seus agricultores. Eramos todos nós, de vários países, que estávamos ali para trabalhar no Sínodo e depois continuar a cuidar das vinhas em nossos países.Esta celebração jamais esqueceremos, pois nos fortaleceu sobremaneira, assim como todas as celebrações que participamos todos os dias na casa das freiras onde ficamos hospedados, Eram 14 bispos celebrando-as! Um verdadeiro encontro com Cristo todas as manhãs.
No dia seguinte iniciamos os trabalhos. Ao chegarmos no Auditório Paulo VI, uma pessoa especial estava nos esperando: Francisco! Ele ficou conosco durante todo o Sínodo. Uma grande presença, ao mesmo tempo humilde e atento a tudo e todos! Logo no início, após as orações (que ele conduziu todos os dias), pediu: “Estamos todos aqui para falar com transparência e ouvir com humildade!”
Começamos lendo o Instrumentum Laboris, texto que foi distribuido antecipadamente para que todos se preparassem.
Todas as manhãs, havia um intervalo de meia hora: o “café com o Papa”. Ele ficava em pé, esperando para conversar com todos. Formava-se uma fila, e cada um indistintamente entre bispos, cardeais, padres, seminaristas, ou auditores passava alguns minutinhos com ele. Uma delícia! Apesar dos gostosos quitutes servidos no café, nada se comparou à acolhida com alegria, sorrisos e uma palavra amiga para todos os que eram recebidos pelo Santo Padre. Nos cumprimentávamos, nos falávamos, ele abençoou nossa família, demos-lhe uma Carta Mensal, e para ele nospediu orações. E isto se repetiu por vários dias... Nosso coração se aqueceu de tal modo que pensávamos: ”o céu deve ser assim...”
Estivemos juntos com 70 Cardeais, 120 Bispos, vários Padres e alguns Auditores. Durante uma semana de intensas audições de 7 horas diárias, onde os testemunhos e as intervenções foram de uma riqueza ímpar, elaborou-se o Relatio Pós Disceptationem, uma síntese de tudo o que foi dito. E com base nesta síntese, iniciamos os chamados “Círculos Menores”: 10 grupos divididos por língua, com 20 participantes por grupo. Nosso grupo estava composto por 06 Cardeais, 08 Bispos, e 04 padres, (professores das escolas de formação de padres) e nós dois. Durou três dias, onde pudemos debater e aprimorar o documento inicial, gerando o Relatio Synodi.
Nos últimos dois dias, os padres sinodais puderam debater e aprovar, o texto final, que será usado por todo o clero para estudos, debates e posteriores conclusões no próximo Sínodo, em outubro de 2015. Foi uma experiência única, onde aprendemos muito e nos sentimos muito abençoados com o olhar de Deus sobre nossa família. Ouvimos quantas diferenças, dificuldades e alegrias há neste mundo, feito de luzes e sombras. O que fica é a esperança de um mundo que ame a verdade, a justiça e a misericórdia. Continuemos em oração para que Sua Vontade seja feita!

Hermelinda e Arturo ZAMPERLINI