Carta de Outubro 2016

Version imprimable PDF version Partager sur Twitter Partager sur Facebook

Père Farias

Caríssimos casais,

Neste ano santo da misericórdia, somos convidados a celebrar a misericórdia como a expressão mais perfeita da «ternura de Deus». Na sua etimologia, a misericórdia tem a ver com o «coração», um coração disponível e aberto para acolher sobretudo aqueles que não se consideram dignos de ser amados. Dizer que Deus é misericordioso significa que o seu amor nos precede, que Ele não desiste de nós, que nos ama como se nos fôssemos o seu «bem», porque Ele nos ama por aquilo que nos somos e não por aquilo que Lhe podemos dar. E qual é o nosso valor? O nosso valor mede-se a partir da intensidade do amor de Deus por nós.

O Papa Francisco convida-nos a irmos às periferias. No nosso Movimento, as nossas periferias são, para os casais, os cônjuges, os filhos, os familiares, a Equipa; para os conselheiros espirituais, os que lhes estão confiados na sua solicitude pastoral. Caríssimos casais, é importante que vivamos este tempo de graça e de misericórdia intensivamente, com verdadeira compaixão, sofrendo com quem sofre, alegrando-nos com quem se alegra, sendo felizes com a felicidade e a alegria dos outros.

«Ao início do ser cristão», escreve Bento XVI, «não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa que dá à vida um novo horizonte e, desta forma, o rumo decisivo» (BENTO XVI, Deus caritas est, 1). Diz ainda Bento XVI «Não é a ciência que redime o homem. O homem é redimido pelo amor» (Spe salvi, 26). Queres saber o que é o amor que salva? Contempla a cruz de Jesus Cristo; olha para o seu lado aberto, do qual saiu sangue e água. E queres saber porque é que ele foi ferido? Para que pela ferida visível possas ver a ferida invisível do amor.

O Padre Caffarel e os primeiros casais procuraram juntos encontrar um método, descobrir um caminho que os conduzisse a viver a santidade em casal. E a santidade passa pela nossa capacidade em reconhecer no outro um dom precioso de Deus, que é tão amado por Deus como cada um de nós. Os pontos concretos de esforço são instrumentos simples colocados à nossa disposição para seguirmos pelo caminho que nos conduz à santidade.

Estamos no ano centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima, nos meses de Maio a Outubro de 1917. O próximo encontro internacional será em Fátima, em Julho de 2018. Tudo isto é uma graça extraordinária. A mensagem de Fátima recorda-nos o que é mais importante para a nossa vida, aquilo que nos espera e que nós construímos em cada instante. Nossa Senhora pediu aos Pastorinhos muita oração e disponibilidade para «consolar» Deus, isto é, para O não deixarmos só, e Ele está só não apenas quando O esquecemos e não fazemos d’Ele o centro da nossa vida, mas também quando deixamos os nossos irmãos sós, quando não estamos atentos àqueles que nos estão próximos, que estão na nossa periferia. Fazei de tudo isto tema do vosso dever de sentar e também da vossa oração conjugal, os dois pontos de esforço que são a regra de ouro da espiritualidade conjugal. Que a bênção de Deus vos acompanhe sempre. Saúdo-vos cordialmente no Senhor.

P. José Jacinto Ferreira de Farias, scj
Conselheiro Espiritual da ERI

 Ler : "A caminho de Fátima"
Tó et Zé MOURA SOARES

To et Zé